Notícias

Educação e Sustentabilidade: Casa Familiar Rural Recebe Apoio Estratégico na Amazônia

Na foto, preparação da assembleia com as integrantes do CDS Rosalina Magalhães, Jovenilde Ribeiro, Cristiana Braga e o consultor do Instituto Interelos Eduardo Nicácio.

Instituto Interelos apoia de perto a estruturação de futura Casa Familiar Rural em Porto de Moz, na Resex Verde Para Sempre, no Pará

No dia 21 de novembro, Eduardo Nicácio, consultor do Interelos e especialista em estudos socioeconômicos sustentáveis, esteve na Reserva Extrativista (Resex) Verde Para Sempre, no Pará. Sua visita teve como objetivo acompanhar a eleição da nova diretoria da Associação da Casa Familiar Rural de Porto de Moz, um passo fundamental para a estruturação de uma nova escola na região. A Casa Familiar Rural, pautada na metodologia da alternância, é considerada um pilar fundamental para o desenvolvimento do território, justamente por possibilitar a formação de técnicos e futuras lideranças capacitadas para assumir os desafios regionais e a manutenção da floresta de pé. 

A Resex Verde Para Sempre, que abrange 82% do território de Porto de Moz, no Pará, é lar de 37 comunidades, onde vivem cerca de 13.000 pessoas. Com sua localização estratégica entre os rios Xingu e Amazonas, a reserva é vital para a subsistência local, incluindo atividades como produção madeireira, extração de frutas, castanhas, criação de animais e pesca.

A atuação do Instituto Interelos na região busca fortalecer as cadeias de valor da Resex, proporcionando apoio técnico nos processos produtivos, organizativos, de gestão e mercadológicos. O objetivo é garantir o manejo sustentável dos recursos naturais, acesso à população tradicional às políticas públicas, empoderamento das comunidades locais e avanço na regularização fundiária.

Nicácio, liderando a frente de Educação do Campo e da Floresta, esteve ativamente envolvido na construção de um plano de ação de curto e médio prazo, que prevê além da formalização e estruturação da escola, a formulação de plano político-pedagógico, capacitações para gestão e captação de recursos para a futura escola. Durante sua visita à reserva, ele realizou levantamentos de dados educacionais e da própria reserva, articulando esforços com entidades ligadas à educação do campo e da floresta.

Assine a nossa Newsletter e receba em primeira mão nossos artigos e lançamentos. Clique aqui!

O sonho de construir a Casa Familiar Rural de Porto de Moz vem desde o início dos anos 2000, quando uma associação gestora foi formalmente criada. De lá para cá, algumas turmas de alunos já foram concluídas em casas familiares rurais de cidades vizinhas, com o intermédio da associação. No entanto, a Casa Familiar Rural de Porto de Moz ainda não conseguiu construir uma sede própria. 

No entanto, a recente eleição de uma nova diretoria trouxe renovação e entusiasmo, especialmente ao envolver jovens egressos de casas familiares rurais das comunidades próximas, tendo como foco inicial a regularização do registro da escola e a efetivação das parcerias necessárias para a viabilizar o funcionamento da escola. 

Nicácio enfatizou a relevância do apoio próximo e coordenado, sublinhando que os envolvidos demonstram entusiasmo e otimismo em relação à resolução das questões pendentes.

“Esta viagem de acompanhamento é uma oportunidade para reunir as pessoas e dialogar os assuntos presencialmente. Deu para perceber que as pessoas envolvidas manifestaram interesse e assumiram responsabilidades. Eles estão engajados para concretizar esse sonho.”

Eduardo Nicácio

O próximo passo consiste na realização periódica de encontros para elaborar em conjunto um plano de ação, acompanhando sua execução por meio de reuniões coordenadas, mediação e preparação documental, em parceria com a atuação articulada do Centro de Desenvolvimento Sustentável (CDS).

Não há protagonismo sem educação

No contexto das Casas Familiares Rurais no Pará, a implementação começou em 1995, e embora tenham sido criadas 40 associações mantenedoras, apenas 15 estão ativas atualmente. O desafio é fomentar esse modelo educativo na Resex Verde Para Sempre, conectando-o ao desenvolvimento do território e garantindo sua perenidade.

O acesso à educação na região enfrenta desafios, como a distância das escolas em relação às comunidades, irregularidades no transporte e sucateamento do sistema de ensino. A precarização contribui para o abandono escolar, gerando desestímulo e desmotivação entre os estudantes e suas famílias.

Diante desse cenário, o programa do Interelos destaca a importância de considerar cada etapa do investimento como uma oportunidade de aprendizado. Uma das premissas fundamentais orientando a elaboração simultânea dos planos de negócio é que o protagonismo efetivo só se concretiza por meio da educação. Essa abordagem não se restringe apenas à educação formal, mas permeia todo o projeto de investimento, reconhecendo que todos têm algo a ensinar e, ao mesmo tempo, algo a aprender. 

Em cada fase do projeto, desde a organização de reuniões e assembleias até a criação de uma escola no modelo Casa Familiar Rural ou o estabelecimento de cooperativas, é crucial conceber cada iniciativa como uma oportunidade valiosa de aprendizagem. Desse modo, à medida que o fortalecimento das atividades econômicas avança na Resex Verde Para Sempre, garantimos a construção de sólidas bases de capital humano capacitado e comprometido com o desenvolvimento sustentável.

Assine a nossa Newsletter e receba em primeira mão nossos artigos e lançamentos. Clique aqui!

Últimas notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *